junho 30, 2007

NOTAS SOLTAS

TIVER
Tá tudo doido! Há-de haver algum vírus muito contagioso, circulando por aí, deixando um rasto de loucura incurável! Aqui, o contágio tem sido assustador!
Não é que ontem, sexta-feira, em horário muito impróprio, o mais novo canal de Televisão nacional, apresenta imagens de uma loura espampanante, exactamente como veio ao mundo (com alguns atributos bem mais desenvolvidos que a média), em poses provocantes? E… não era menos que o anúncio de um programa (debiloide por sinal), que a mesma irá passar amanhã, domingo!
Realmente há mulheres que nasceram para estar frente às câmaras”, “Miss Pamela, a mulher que já foi capa da Playboy não sei quantas vezes” – eram algumas das frases proferidas pela voz off, que se esforçava ao máximo para fazer uma voz lânguida…
Meus olhos ficaram vermelhos de tantos os esfregar! Mas…. Infelizmente as imagens prosseguiam… aquilo estava mesmo a acontecer! Minha boca continuou aberta! Francamente!

PALÁCIO DA CULTURA
É realmente muito triste, que esta casa esteja como está. De costas!
Por acaso, nunca encontrei ninguém a dormir, mas decerto, pouco falta…
O Cyber café que outrora, tanto e bem contribuiu para a pouca animação existente no Plateau (ah Plateau!) fechou! Não sei porquê, mas ouve-se de tudo por aí. Prefiro não acreditar nas versões diversificadas que cada crioulo narra. A minha única preocupação é: o que lá vai ficar agora? Se for outra coisa semelhante, óptimo! Mas desconfio que não! A tendência absurda de, hoje em dia, se enveredar pelas vias mais infelizes, me leva a recear o pior!
É óbvio e sabido, que o pelouro responsável por esta casa, não dispõe de meios suficientes para a cabal gestão do espaço, mas também é verdade, que existem soluções para tal, nomeadamente as parcerias! Há muita gente capaz, que abraçaria a ideia! Estejam certos. Mas que se façam concursos claros e bem definidos!
O país que se quer hoje, que se projecta tanto, não se compactua com mentalidades tacanhas! Se a Cultura não é devidamente reconhecida a nível orçamental, deve procurar parceiros capazes, que a façam progredir… assim não! Num país onde a cultura é um dos recursos mais importantes do capital nacional, torna-se imprescindível, a capitalização de espaços como estes! O mesmo diria para o auditório Nacional!

PRIORIDADES
Entretanto, o Governo chinês, vai financiar a construção de (mais) um estádio de futebol na Praia! Por quê? Um estádio? De Futebol?
A quem coube a priorização desta construção?
Bem à frente da “necessidade” de um estádio de futebol, existem uma série de outras verdadeiras necessidades! Sobretudo, num país que vai entrar nos PDM. Poderia apontar aqui, uma boa lista, mas não creio seja necessário! Salta à vista desarmada de qualquer leigo na matéria! Façam-me o favor!

junho 28, 2007

ATENTOS de Omar Camilo


"Atentos", a nova mostra fotográfica do fotógrafo cubano Omar Camilo, hoje, quinta feira, no CCP, às 18H30.
"Nesta mostra, Omar Camilo reuniu dez trabalhos de grandes dimensões, centrados em duas figuras infantis, cuja vida é marcada pela carência e pela luta pela sobrevivência nas lixeiras.
Trata-se de uma mostra de cariz realista e preocupação social so artista que, através de grandes planos e planos de pormenor, a preto e branco, procura captar a atenção para uma realidade escondida da grande cidade."
Um tema interessante, bem quotidiano, e bem à vista de todo o mundo! No entanto, ignorado, pelo desconforto que causa!
Dê um pulo até lá e confirme.

junho 21, 2007

SOS ESTRADAS

Sempre que me deparo com cenas macabras nas nossas vias, nomeadamente com camiões abarrotados de pedras, blocos, chapas, britas e sacos, e sem nenhum tipo de protecção, há uma pergunta que me assalta: "devo chamar alguém que dê cobro a isto!", para logo a seguir me defrontar com a não menos medonha dúvida: "Mas queeeeeeeeeemmmm?".
Hoje, no Jornal da Noite, fez-se LUZ! E, como quero ajudar a promover a importante noticia, aqui vai:
Para qualquer denuncia sobre infracções cometidas pelos nossos condutores (coisa que abunda por aí), passa a existir uma linha directa, grátis: 800 10 12. Ligue e denuncie!
Este serviço, da Direcção Geral de Transportes, encarregar-se-á de passar sua denúncia à Policia que deverá agir em conformidade.
Cumpra a sua parte, que eles concerteza cumprirão a deles!

junho 20, 2007

GRUPO AXÉ NO CCF

Grupo Axé
Stéphane Perruchet
Kwame Gamal
Márcio Rosa
Para celebrar a edição 2007 da « Fête de la musique », o CCF da Praia·propõe destacar um universo pouco explorado e raramente escutado no país da morna: o das percussões e da polirítmia.
O Grupo Axé, nascido do encontro na Praia, entre três percussionistas: (um francês, um cabo-verdiano e um brasileiro), se reúne para descobrir os cruzamentos entre os folclores afro-cubanos, afro-brasileiros e mandingas.
Stéphane Perruchet, de Toulouse, é um especialista das percussõesoeste-africanas. Acompanhou regularmente artistas cabo-verdianos muito conhecidos, tais como Tcheka, Kim Alves, Tó Alves ou ainda MárioLúcio.Kwame Gamal, da Praia, é o fundador e líder do grupe Obá. Acompanhou igualmente Heavy H e Kim Alves.
Márcio Rosa, de Curitiba (Paraná, Brasil), é igualmente um acompanhante reputado da cena musical cabo-verdiana.
Tem, juntamente com Stéphane Perruchet um projecto associativo para a promoção da aprendizagem das percussões em Cabo Verde.

Quinta, 21 Junho, 19 h
Pátio do CCF
Fête de la Musique 2007


Entrada Livre


junho 17, 2007

CAOS Q.B.







METAMORFOSE


Esqueci-me
de me lembrar
de mim,
de um tempo,
e de « eu »
no meio de uma valsa,
nos pés de uma negra,
no coração de uma criança.
Fiquei-me
pelo instante
de uma breve caricia
revelada a medo
pelo toque supremo
de mãos famintas.
Me encontrei
no fundo de uma alma,
no meio de um poema
e nos versos de um mendigo.
Me tornei
na essência da cor
que aflige a escuridão
e rasguei
o que de mim sobrava:
o silêncio!




Vera Ferreira
10/04/97

junho 13, 2007

O SOBREVIVENTE

Impossível compor um poema a essa altura da evolução da humanidade.
Impossível escrever um poema - uma linha que seja - de verdadeira poesia.
O último trovador morreu em 1914.
Tinha um nome de que ninguém se lembra mais.
Há máquinas terrivelmente complicadas para as necessidades mais simples.
Se quer fumar um charuto aperte um botão.
Paletós abotoam-se por eletricidade.
Amor se faz pelo sem-fio.
Não precisa estômago para digestão.
Um sábio declarou a O Jornal que ainda falta
muito para atingirmos um nível razoável de cultura.
Mas até lá, felizmente, estarei morto.
Os homens não melhoram
e matam-se como percevejos.
Os percevejos heróicos renascem.
Inabitável, o mundo é cada vez mais habitado.
E se os olhos reaprendessem a chorar seria um segundo dilúvio.
(Desconfio que escrevi um poema.)

Carlos Drummond de Andrade

junho 12, 2007

O TAMANHO DAS PESSOAS

Os tamanhos variam conforme o grau de envolvimento.
Uma pessoa é enorme para você, quando fala do que leu e viveu, quando trata você com carinho e respeito, quando olha nos olhos e sorri destravado.
É pequena para você quando só pensa em si mesma, quando se comporta de uma maneira pouco gentil, quando fracassa justamente no momento em que teria que demonstrar o que há de mais importante entre duas pessoas: a amizade, o carinho, o respeito, o zelo e, até mesmo, o amor.
Uma pessoa é gigante para você quando se interessa pela sua vida, quando busca alternativas para o seu crescimento, quando sonha junto com você.
E pequena quando desvia do assunto.
Uma pessoa é grande quando perdoa, quando compreende, quando se coloca no lugar do outro, quando age não de acordo com o que esperam dela, mas de acordo com o que espera de si mesma.
Uma pessoa é pequena quando se deixa reger por comportamentos clichês.
Uma mesma pessoa pode aparentar grandeza ou miudeza dentro de um relacionamento, pode crescer ou decrescer num espaço de poucas semanas.
Uma decepção pode diminuir o tamanho de um amor que parecia ser grande.
Uma ausência pode aumentar o tamanho de um amor que parecia ser ínfimo.
É difícil conviver com esta elasticidade: as pessoas que se agigantam nas críticas e se encolhem quando estão diante dos olhos que sabem "seus segredos íntimos e suas atitudes covardes fruto de sua própria insegurança".
Nosso julgamento é feito não através de centímetros e metros, mas de acções e reacções, de expectativas e frustrações.
Uma pessoa é única ao estender a mão; e ao recolhê-la inesperadamente, se torna mais uma.
O egoísmo unifica os insignificantes.
Não é a altura, nem o peso, nem os músculos que tornam uma pessoa grande...é a sua sensibilidade, sem tamanho...
E ainda dizem que "interferência" é atrapalhar o caminhar do próximo. Na maioria das vezes é despertar a "coragem e a capacidade" nos covardes e incompetentes.
A esperança está na certeza que estes se rendem diante da própria imagem diante do espelho que se olham a cada dia mais infelizes.
William Shakespeare

junho 10, 2007

QUE OS ANJOS NOS PROTEJAM!

Anjos - Tarsila do Amaral - 1924
Nos tempos que correm, peço aos Anjos nos Protejam!


junho 09, 2007

MAYRA ANDRADE TEM NOVO DISCO



Edição especial de "Navega" inclui tema de Carlos Martins

Aos 22 anos Mayra Andrade é uma das revelações da música africana.

A cantora lança uma edição especial do primeiro disco “Navega”, onde inclui um tema gravado com o músico de Jazz Carlos Martins.



junho 08, 2007

QUERIDA LUCY

A UM AUSENTE

Tenho razão de sentir saudade,
tenho razão de te acusar.
Houve um pacto implícito que rompeste
e sem te despedires foste embora.
Detonaste o pacto.
Detonaste a vida geral, a comum aquiescência
de viver e explorar os rumos de obscuridade
sem prazo sem consulta sem provocação
até o limite das folhas caídas na hora de cair.
Antecipaste a hora.
Teu ponteiro enlouqueceu, enlouquecendo nossas horas.
Que poderias ter feito de mais grave
do que o ato sem continuação, o ato em si,
o ato que não ousamos nem sabemos ousar
porque depois dele não há nada?
Tenho razão para sentir saudade de ti,
de nossa convivência em falas camaradas,
simples apertar de mãos, nem isso, voz
modulando sílabas conhecidas e banais
que eram sempre certeza e segurança.
Sim, tenho saudades.
Sim, acuso-te porque fizeste
o não previsto nas leis da amizade e da natureza
nem nos deixaste sequer o direito de indagar
porque o fizeste, porque te foste.

Carlos Drummond de Andrade

junho 07, 2007

JAZZ NA CIDADE

Jazz na cidade
Trio Bobby Durham
Sexta 08 de Junho de 2007, 22h30, Tabanka Mar
Em parceria com o Grupo Oásis Atlântico

Bobby Durham, bateria
Pierre Boussaguet, contrabaixo
Vincent Bourgeyx, piano

Para encerrar em beleza a temporada Jazz na cidade, iniciada em Outubro passado, o Centro Cultural Francês propõe ao público da Praia um espectáculo excepcional: o Trio de Bobby Durham.
Bobby Durham foi o principal baterista de uma das maiores lendas do jazz : Óscar Peterson. Foi também um dos acompanhantes preferidos de Ella Fitzgerald.
Em tournée pelo Senegal e Cabo Verde e em colaboração com o Blue Note de Dakar, ele far-se-á acompanhar neste concerto em Cabo Verde, por duas figuras muito respeitadas do jazz parisiense: Pierre Boussaguet no contrabaixo, e por um jovem pianista de grande talento, conhecido pelo seu perfeito domínio do estilo petersoniano : Vincent Bourgeyx.


Atenção: Inicio do Concerto - 22h30

A QUADRILHA

João amava Teresa que amava Raimundo
que amava Maria que amava Joaquim
que amava Lili que não amava ninguém.
João foi para os Estados Unidos,
Teresa para o convento,
Raimundo morreu de desastre,
Maria ficou pra tia,
Joaquim suicidou-se e Lili casou com J. Pinto Fernandes
que não tinha entrado na história.
Carlos Drummond de Andrade

junho 05, 2007

NOVA PRAIA

Com a nova contaminação das praias desta nossa "Menina do Mar"
não se apoquentem.... há uma opção: ESTA!

SERÁ POSSIVEL TAMBÉM????????

ATÉ QUANDO ESTA SITUAÇÃO?

SERÁ POSSIVEL????????

NO COMMENTS!

BEM VINDO ABRÃAO


Tomei conhecimento, através do sondisantiagu, do meu querido amigo Djinho, da existência de mais um blogsferiano, nosso Abrãao e seu ALA MARGINAL! E... verdade seja dita, fiquei muito feliz! Gosto de lê-lo!

Já configura em meu rol.... Parabéns!

Por isso, deste lado, lhe desejo tudo de bom e lhe dou as Boas Vindas! Abraço aos dois.

junho 04, 2007

VOTOS

Para o ano, teremos barracas com alguns andares e... quiçá, Elevadores!


E... quem dera, com aspecto a condizer com a nossa entrada nos PDM!

BRINDE


Bebi
dois tragos
de sonho,
num cálice
de prata,
e esperei
o anoitecer
no telhado
onde dorme
meu pranto.
Adiei o sono,
denunciei
a solidão,
e me aliei
ao luar.
Ergui
o cálice do sonho,
e prateei o trago
com os lábios
ávidos da cor
do teu nome
e,
plenos de avidez
da ausência
dos teus,
o eu
se inundou
de tu,
se materializou
num fragmento
de nós,
e o sonho
escorreu
pelos cantos
de minha boca
prateada
de ti!




Vera de Deus
12/06/98