dezembro 13, 2006

O CAOS NOSSO DE CADA DIA


"Prestes a deflagrar o que pretende seja um sistema municipal de excelência, Filú terá que conciliar a busca da modernização com a superação de alguns atrasos estruturais da Praia (e de Santiago) que beiram o descaso e o escândalo. Uma realidade incompatível com o século XXI, e que não cabe numa capital que se quer Paixão Atlântica."
Filinto Silva, in www.albatrozberdiano.blogspot.com


CIVISMO JÁ!


A CONDUÇÃO

Me pergunto…. “será culpa das escolas de condução, ou é mesmo o pessoal que está destituído de educação? Aquela educação que Carlos Gonçalves tanto se cansa de reiterar em seus programas radiofónicos!”
Conduzir na cidade da Praia, “menina do mar” torna-se cada dia que passa, um autêntico acto de CORAGEM!
Se não é o pisca-pisca que é totalmente desconhecido, são as ultrapassagens pelo lado errado, as manobras de inversão de marcha à “faroeste”, a total e completa ignorância pelos sinais de trânsito, enfim, um sem número de imprudências próprias de uma Babilónia! Temos de conduzir e apelar aos Deuses e sobretudo ao nosso 10º sentido: o da adivinhação, para evitarmos males maiores! Para quem não o tem, um conselho amigo: não conduza (na Praia, pelo menos)!
Dá-me a sensação que, as cartas de condução são ganhas em algum prémio de pacote, ou embalagem de chicletes, pois não consigo acreditar que se tenha frequentado uma Escola! Não é possível!
Depois da “brilhante” ideia da CMP de colocar dois sinais às entradas da subida da Achada de Santo António, devido à morosidade da obra (que mais parece a espada de Afonso Henriques), já se registaram alguns acidentes! E porquê? Falta de educação, pura e simples! Se está o sinal proibido para descer ou para subir, dependendo das horas do dia, como é que é possível, alguém que está cumprindo à risca o sinal, dar de caras com outro veículo em sentido contrário? E, normalmente, os violadores, são sempre os mesmos: táxis!
Sendo esse meio de transporte, público, carregando quase sempre vidas outras que não as do motorista tresloucado, qual outra razão para a transgressão, que não a falta de educação?
Todas as épocas festivas são recheadas de “operações” stop e outras do género,,,, mas porquê que não se faz isto durante o ano, sabendo que, as transgressões são efectuadas sempre? E porque se perde tempo em fazer rusgas a viaturas particulares, que normalmente circulam na boa e com tudo em dia? Hein?

AS VIAS

Como se não bastasse os condutores inaptos, ainda temos que gramar com vias de circulação deploráveis. Pagamos uma taxa anual denominada “imposto de circulação” ( e a julgar pelo numero de viaturas, as receitas não serão tão más), que, normalmente, deveria servir para nos garantir qualquer segurança… pois é… garante-nos é uma conta ainda maior na oficina. O estado das vias é tão grotesco, que nos deviam pagar pela coragem que temos, de circular com nossos veículos tão suadamente adquiridos, sobre os buracos e valas intermináveis, que atribuem às mesmas, um carácter de “surradeira”. Quando não deparamos com buracos abertos para qualquer reparação, que assim permanecem até alguém cair lá para dentro….aí, vem a comunicação social a denunciar e, ops, o dito é fechado.
E, para acrescentar o quadro, dos buracos e valas deixados pela calcetagem feita à pressa, temos a Telecom e a Electra, a abrir valas de forma ininterrupta e, a fecha-los deixando o solo desprovido do material que lá antes existia, e uns sulcos tão grandes, que mesmo um peão, corre o sério risco de se ver de canela quebrada, ou nariz estraçalhado, se se der ao luxo de andar com os olhos fixos em outro lugar que não o chão em que pisa!
Nas nossas queridas vias, temos também comédia…. Sim senhor! As “passadeiras”! É francamente um atentado à inteligência de cada um! Ave-maria! Não lembra nem ao diabo, os locais “estrategicamente” escolhidos para as pintar! E, como falta civismo, estas listras que com prazo de validade limitadíssimo, se transformam facilmente, em PASSEADEIRAS! É …. A malta adora uma selvajaria. Adora estar sempre contra o correcto! Mas também porquê? Ninguém é punido por isso….
É só ter a coragem e falta de senso de rumar para a rotunda da Terra Branca, em qualquer hora do dia, que se consegue vislumbrar a nossa torre de babel: começando pelas prioridades na rotunda, às passadeiras bem a seguir às curvas, tudo se ajusta para um amolgamento na chapa. Sem contar com os palavrões vindos do exterior reclamando a falta de cooperação na selvajaria…. Sim, porque cumprir as regras virou atentado!
Os cruzamentos e rotundas, são naturalmente um imbróglio, em qualquer parte do mundo, e incivilizados também os há por todo o planeta, daí os mais desenvolvidos terem optado pelos semáforos nestes pontos. Mas nós, com o grande abastecimento de energia que temos, concerteza não teremos oportunidade para essa opção. Mas há outras! Lembro-me, quando pequena, de ver tanto na Guiné, como em Angola, uma armação mais alta, bem no meio dos cruzamentos, p.e., com um agente da polícia de trânsito, comandando o trânsito. Nós, como somos mais espertos, preferimos colocar um polícia, sem nenhum tipo de protecção à volta, algumas vezes, em períodos de maior confusão. Por acaso, há muito que não os vejo! No início até pensei que se havia optado por um sistema diferente… mas não…. Agora nem policia, nem nada mesmo! Cada um que se desenrasque da maneira que puder e, nesse salve-se quem puder, vamos registando a cada dia, mais acidentes, mais palavrões, e mais medo.
O cruzamento existente na Achada de Santo António, nas imediações da residência do representante das Nações Unidas e junto a dois cafés conhecidos, é um dos mais frequentados neste momento, por causa do desvio que se tem de fazer pela Prainha, para chegar à Achada. Bem, aí é um desastre total! Ninguém sabe de quem é a prioridade, e caso estejam táxis ao barulho, é vê-los a provocar os mais complicados sistemas de terrorismo de condução. É só permanecer uns dez minutos aí, para poder assistir a cenas dignas de um livro de Asterix.
Como já vamos para a Praia Digital, se nem mesmo ainda temos um Praia civilizada? Essa da Praia Digital, também tem muito que se lhe diga!

1 comentário:

carla disse...

Assino em baixo. Sou uma das que ainda não percebeu quem tem prioridade no tal cruzamento da achada...